quinta-feira, 3 de julho de 2014

O teu beijo, meu amor.

E à volta tudo como se houvesse à volta. Tudo como se houvesse tudo o que não é, quando te beijo, o teu beijo.

O rasgo dos teus olhos, o cheiro do teu vento, a onda do teu abraço.

Saber que te sou. Incondicionalmente sou-te.

A tua boca por preencher a minha.

Saber que me (te) rendo.

A minha boca por preencher da tua. A colina dos teus braços, a luz da tua voz.

Saber-me-te. Passar o tempo para não me passar de ti.

O abrigo do teu colo.

Sair do espaço que não és tu e saber-me fora do espaço que não sou eu.

O toque da tua pele. O teu beijo, meu amor.

E à volta tudo como se houvesse à volta. E à volta a certeza de que amar-te, meu amor, não tem volta.

Pedro Chagas Freitas

Sem comentários:

Enviar um comentário