segunda-feira, 30 de setembro de 2013


quinta-feira, 26 de setembro de 2013


quarta-feira, 25 de setembro de 2013


terça-feira, 24 de setembro de 2013

É Preciso Também não Ter Filosofia Nenhuma

Não basta abrir a janela 
Para ver os campos e o rio. 
Não é bastante não ser cego 
Para ver as árvores e as flores. 
É preciso também não ter filosofia nenhuma. 
Com filosofia não há árvores: há idéias apenas. 
Há só cada um de nós, como uma cave. 
Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora; 
E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse, 

Que nunca é o que se vê quando se abre a janela. 
Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos" 

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Animais



"Olhe no fundo dos olhos de um animal e, por um momento, troque de lugar com ele.
A vida dele se tornará tão preciosa quanto a sua e você se tornará tão vulnerável quanto ele.
Agora sorria, se você acredita que todos os animais merecem nosso respeito e nossa proteção, pois em determinado ponto eles são nós e nós somos eles."
Philip Ochoa
http://aluisionestelar.ning.com

domingo, 22 de setembro de 2013


sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Zé Leonel - Ex-Votos

José Leonel Perfeito, (Póvoa de Santa Iria1955) — (Póvoa de Santa Iria21 de abril de 2011) foi um músico portuguêscantorcompositor, e um dos fundadores dos Xutos & Pontapés. Além dos Xutos, esteve na génese dos Peste & Sida, influenciou os Heróis do Mar e fundou os Ex Votos, que conheceram vários sucessos alternativos, como é caso do "Subtilezas Porno-Populares", era também mentor do projecto Zé Leonel + IVA. Zé Leonel foi talvez o primeiro punk português a sério, no sentido de que achava que podia "abanar o sistema" através da música, como fizeram os Sex Pistols ou os Clash.

Biografia

Zé Leonel foi um dos fundadores dos Xutos & Pontapés em 1978, na onda do punk rock português, como vocalista, tendo permanecido no grupo até ao começo de 1981. Neste grupo foi o responsável, por exemplo, da letra de “Sémen”, inspirada pelo nascimento da primeira filha.
Em 1989 fundou os Ex-Votos com quem editou álbuns como “Cantigas do bloqueio”, produzido por Tim, dos Xutos & Pontapés, e “Benditos sejam”. “Subtilezas porno-populares”, “Texas Kid”, “Se o Bordalo fosse russo” e “Canção do ladrão” são alguns temas mais conhecidos dos Ex-Votos. Em 2003 o grupo fez uma pausa, tendo retomado a carreira em Novembro de 2009.

Último Concerto

Zé Leonel deu o último concerto a 13 de Abril de 2011, com os Ex-Votos e Amigos, poucas semanas antes da sua morte no Centro Cultural da Malaposta, em Odivelas, no qual participou Kalú, baterista dos Xutos & Pontapés. O vocalista não deixou de dar voz às canções da banda, apesar do visível estado de saúde debilitado que o obrigou a subir ao palco numa cadeira de rodas.

Morte

Zé Leonel morreu vítima de cancro no fígado aos 50 anos no dia 21 de Abril de 2011 em casa pelas 04:30h da madrugada, e até ao fim usou uma crista, como um verdadeiro punk.
"Fui acordado pela campainha. Eram 2 jovens senhoras, assistente social e enfermeira, enviadas pelo Centro de Saúde para avaliar a minha situação e tentarem convencer-me a ingressar numa dessas clínicas residenciais, onde as pessoas morrem com mais nível", escreveu Zé Leonel, dia 16, no seu blogue pessoal (www.boomerangue.blogspot.com).
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


terça-feira, 17 de setembro de 2013

A Lenda do Girassol


Dizem que existia no céu uma estrelinha tão apaixonada pelo sol que era a primeira a aparecer de tardinha, no céu, antes que o sol se escondesse.
E todas as vezes que o sol se punha ela chorava lágrimas de chuva.
A lua falava com a estrelinha que assim não podia ser, que estrela nasceu para brilhar de noite, para acompanhar a lua pelo céu, e que não tinha sentido este amor tão desmedido!
Mas a estrelinha amava cada raio do sol como se fosse a única luz da sua vida, esquecia até a sua própria luzinha.
Um dia ela foi falar com o rei dos ventos para pedir a sua ajuda, pois queria ficar olhando o sol, sentindo o seu calor, eternamente, por todos os séculos.
O rei do vento, cheio de brisas, disse à estrelinha que o seu sonho era impossível, a não ser que ela abandonasse o céu e fosse morar na Terra, deixando de ser estrela.
A estrelinha não pensou duas vezes: transformou-se em estrela cadente e caiu na terra, em forma de uma semente.
O rei dos ventos plantou esta sementinha com todo o carinho, numa terra bem macia. E regou com as mais lindas chuvas da sua vida.
A sementinha tornou-se planta. Cresceu sempre procurando ficar perto do sol. As suas pétalas foram se abrindo, girando devagarinho, seguindo o giro do sol no céu.
E, assim, ficaram pintadas de dourado, da cor do sol.
É por isso que os girassóis até hoje explodem o seu amor em lindas pétalas amarelas, inventando verdadeiras estrelas de flores aqui da terra.

domingo, 15 de setembro de 2013

O homem é um animal irracional

"O homem é um animal irracional, exactamente como os outros. A única diferença é que os outros são animais irracionais simples, o homem é um animal irracional complexo. É esta a conclusão que nos leva a psicologia científica, no seu estado actual de desenvolvimento. O subconsciente, inconsciente é que dirige e impera, no homem como animal. A consciência, a razão, o raciocínio são meros espelhos. O homem tem apenas um espelho mais polido que os animais que lhe são inferiores.
(...)
O homem não sabe mais que os outros animais; sabe menos.
Eles sabem o que precisam saber. Nós não."

Fernando Pessoa - Reflexões sobre o Homem - Textos de 1926-1928

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A descrição da alma de Fernando Pessoa, pelo próprio:

Uma Alma Amante e TernaJamais houve alma mais amante ou terna do que a minha, alma mais repleta de bondade, de compaixão, de tudo o que é ternura e amor. Contudo, nenhuma alma há tão solitária como a minha — solitária, note-se, não mercê de circunstâncias exteriores, mas sim de circunstâncias interiores. O que quero dizer é: a par da minha grande ternura e bondade, entrou no mau carácter um elemento da natureza inteiramente oposto, um elemento de tristeza, egocentrismo, portanto de egoísmo, produzindo um efeito duplo: deformar e prejudicar o desenvolvimento e a plena acção interna daquelas outras qualidades, e prejudicar, deprimindo a vontade, a sua plena acção externa, a sua manifestação. Hei-de analisar isto; um dia hei-de examinar melhor, destrinçar, os elementos que constituem o meu carácter, pois a minha curiosidade acerca de tudo, aliada à minha curiosidade por mim próprio e pelo meu carácter, conduz a uma tentativa para compreender a minha personalidade. 
    Fernando Pessoa, in 'Páginas Íntimas e de Auto-Interpretação' 

domingo, 8 de setembro de 2013


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Vivenciar


O que tem de ser feito, tem de ser feito. Aquilo por que tens de passar, tens de passar. Cada coisa surge na tua vida numa determinada altura para ser vivida, para ser vivenciada. Caso queiras fugir dela, apenas irás adiar o espinhoso caminho pelo qual terás de passar obrigatoriamente. 

Sempre que atrais um acontecimento, uma pessoa, uma situação na tua vida, sempre que esse encontro se dê (entre ti e aquilo com que vais ser confrontado), é porque está na hora de vivenciares isso ao nível mais profundo de que fores capaz. 

Se não desejavas ou achavas que não podias vivenciar essa situação, ter-te-ias antecipado, terias feito outras escolhas que iriam desaguar noutras situações. E, nesse caso, irias atrair outras situações para vivenciar. Mas foi esta a situação que atraíste agora, e agora é o momento de a vivenciares. 

Queres um conselho? Não fujas. Vivencia o que tens a vivenciar, aprende com a experiência, e, só então, parte para outra. Não deixes de aproveitar esta oportunidade para viver esta situação até ao fim, até ao limite. Esta situação é agora a tua grande professora. É aqui que vais aprender, é aqui que vais evoluir. 

E quando a tormenta tiver passado, quando o que houver para aprender tiver sido aprendido, olha para o céu e poderás ver mais uma estrela que foi lá colocada em tua homenagem. E eu seguirei contigo, protegendo-te, para onde quer que vás. 
Jesus