sábado, 20 de novembro de 2010

Séc.XX - XXI: Da agitação total à apatia global




O séc.XX sempre me fascinou: num espaço de 100 anos tudo aconteceu... Matámos o rei e o descendente, acabando com a monarquia, implementámos a república num curto período experimental, instaurou-se a ditadura, influenciados pela conjuntura internacional... Desenvolvemos e regredimos, passámos fome real num espírito cheio de valores... Foi negada a liberdade a seres cujo bem mais precioso é, sem dúvida, o livre arbítrio.
Insatisfeitos que somos (ou melhor eramos), cedo colocámos um ponto final, na revolução mais bonita da história, a revolução que não derramou sangue mas sim cravos... os cravos de Abril.
Verão quente se sucedeu, até que finalmente a democracia deu um arzinho da sua graça... hoje penso fraca graça.
Grandes senhoras lutaram pelo direito de voto, hoje em dia ninguém dá valor a isso e rescindem desse direito de ânimo leve.
Os valores perderam-se... A liberdade, a igualdade e a fraternidade são conceitos utópicos... Busca-se o prazer imediato... As pessoas perderam a alma e cingem-se a corpos vãos... aparentes... ilusórios....
E o amor? O amor pelo outro extinguiu-se, cada um amasse a si próprio e a mais não é obrigado. Instintos corporais comandam o espírito de gente que nem sabe que tem espírito, como poderão conhecê-lo?!
"Conhece-te a ti mesmo."
"Age como se a tua máxima fosse lei universal."
Dá vontade de subir à lua e gritar estes ditos às formiguinhas cá de baixo... com o devido respeito às formigas que são tão trabalhadoras!